quarta-feira, 17 de janeiro de 2007
Tesouro escondido
Quantas vezes de tão próximos que estamos de determinados aspectos que valorizam a nossa terra que nem damos por conta da sua importância e do significado que comportam ou pelo menos comportaram em tempos.
Uma dessas relíquias que todos conhecemos, embora desvalorizemos, é o Órgão de Tubos da nossa igreja.
Construído em 1795 pelo histórico e reconhecido organeiro Manuel de Sá Couto natural de Santo Tirso e responsável pela construção de grande parte dos Órgãos de Tubos da província do Minho.
O Órgão de tubos de Creixomil, deverá ter sido uma das suas primeiras obras, dadas algumas “imperfeições” que o mestre aperfeiçoou em órgãos seguintes, segundo nos confidenciou o Sr. Manuel Fonseca, organeiro responsável pelo restauro em 1994, depois de um abandono de décadas a que foi votado.
O restauro compreendeu a substituição da quase totalidade da madeira, sendo que a secção de estanho se encontrava num estado razoável. Este órgão compreendia 26 tubos em madeira (graves) dos quais faltavam 2 e 324 em estanho dos quais faltavam 11 tubos. A sua alimentação era feita por uma alavanca mecânica (pedal) que accionada pela força motriz de um homem, garantia a produção de ar através de um fole que por sua vez alimentava os vários tubos que o compunham. Aquando do restauro a alimentação foi substituída por um motor eléctrico, embora se tenha mantido a alavanca garantindo para além da preservação da estrutura original, a possibilidade de usar o órgão mesmo com a falta de energia eléctrica.


Este magnífico instrumento tinha (e tem) as teclas brancas em madeira de Buxo e os acidentes (teclas pretas) em Pau preto. Compreendia ainda a chamada oitava curta que permitia “economizar” algum espaço no teclado.
E porque é que entendo que este órgão é uma das riquezas da nossa freguesia? Já imaginaram o que significava ter um instrumento desta grandeza num período em que a esmagadora maioria de pessoas não tinha qualquer tipo de instrução escolar e/ou musical e viviam dos escassos rendimentos que provinha de uma agricultura de subsistência? De realçar ainda que se contam pelos dedos de uma mão as freguesias do concelho de Barcelos que tinham um órgão de tubos.
Por tudo isso acho que devíamos dar mais valor a esta relíquia que nos habituamos a ver bem ali ao nosso lado e nem damos conta do seu real valor histórico.





Nuno Sousa
1 Comentário(s)
Anonymous Anónimo said...
acho fantastico que tenham restaurado este orgao. sou de barcelos e organista, e é de verdade que não ha quase nenhuns orgaos de tubos ainda em funcionamento. Parabéns à freguesia de Creixomil

Links para este post:
Criar uma hiperligação